Aulas presenciais nas escolas particulares de Sorriso vão voltar gradativamente neste mês

Aulas presenciais nas escolas particulares de Sorriso vão voltar gradativamente neste mês

No entanto, as aulas da rede pública municipal de ensino ficarão suspensas até o dia 5 de junho.

Por G1 MT 08/05/2020 - 12:15 hs

As aulas na rede particular de ensino devem retornar nos próximos dias em Sorriso. A decisão foi tomada nessa quinta-feira (7) durante uma reunião do Comitê de Combate e Enfrentamento ao Coronavírus e publicada em um decreto pela prefeitura.

Segundo o decreto, as atividades devem voltar de forma gradativa a partir da próxima segunda-feira (11).

No entanto, as aulas da rede pública municipal de ensino ficarão suspensas até o dia 5 de junho, quando será realizada nova avaliação da Secretaria Municipal de Saúde e do Comitê Municipal de Prevenção e Enfrentamento ao Coronavírus para a retomada das aulas presenciais.

O calendário estabelece o retorno das atividades dos centros, escolas de educação infantis privadas, escolas de idiomas, escolas técnicas, escolas de músicas, autoescolas e escolas esportivas no dia 11.

Já no dia 18 estará autorizado o retorno dos estabelecimentos de ensino da rede privada. No dia 25 voltam as atividades as instituições de ensino superior.

O secretário de Saúde informou ainda, que apesar da volta as aulas na rede privada, não é obrigatório que os pais mandem os filhos para a escola.

Os proprietários de veículos de transporte escolar privado deverão aferir a temperatura de cada aluno antes de entrar no veículo, bem como, cumprir protocolo de utilização e higienização dos veículos com água sanitária diluída em água, conforme orientação do fabricante e disponibilização de álcool na concentração de 70%.

Em todos os estabelecimentos de ensino privado de Sorriso, os frequentadores do ambiente, sejam eles pais, estudantes, professores e demais cidadãos civis, militares ou religiosos, deverão seguir as seguintes medidas de prevenção e combate à infecção por coronavírus:

Definir que professores, funcionários e estudantes que pertençam ao grupo de risco, conforme definição do Ministério da Saúde façam atividades laborais ou educacionais de forma remota, diretamente de suas casas;

Disponibilizar locais adequados para lavagem frequente das mãos com água e sabão e/ou disponibilização de álcool na concentração de 70%;

Ampliar a frequência diária de limpeza e desinfecção de locais frequentemente tocados, tais como pisos, corrimões, maçanetas, banheiros, interruptores, janelas, telefones, teclados de computador, controles remotos, máquinas acionadas por toque manual, elevadores, carteiras e cadeiras, mesas, objetos de uso coletivo e outros;

Evitar a realização presencial de reuniões de trabalho e priorizar a realização de atividades de forma remota mediante o uso de ferramentas tecnológicas;

Adotar medidas para que as unidades educacionais propiciem o distanciamento social em sala de aula, de modo que as carteiras dos estudantes fiquem a uma distância de 1,5 metros uma das outras;

Vedar o acesso às unidades educacionais privadas de funcionários, professores, pais e estudantes que não estejam utilizando máscara de proteção facial, ainda que artesanal;

Manter os ambientes arejados por ventilação natural.