Militares e pantaneiros se unem no combate às queimadas no Pantanal em Mato Grosso; 108 mil hectares atingidos

Militares e pantaneiros se unem no combate às queimadas no Pantanal em Mato Grosso; 108 mil hectares atingidos

Mais de 100 homens estão empregados na Operação Pantanal II, lançada na última sexta-feira na luta conta o fogo

Por Só Notícias 12/08/2020 - 16:19 hs

Mais de 100 homens estão empregados na Operação Pantanal II, lançada na última sexta-feira na luta conta o fogo, que está destruindo Pantanal mato-grossense desde o mês passado. A combinação de vegetação seca, baixa umidade e calor, uma faísca que se desprende dá início a um novo incêndio. Os bombeiros de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, da Força Aérea Brasileira e da Marinha e funcionários de uma empresa se dedicam com objetivo único de extinguir os incêndios. Os primeiros focos foram registrados no dia 21 de julho em Poconé. Dados preliminares apontam que já foram atingidos 108 mil hectares em Poconé e 77 mil hectares em Barão de Melgaço.

Em uma das frentes de trabalho, operadores trabalham com máquinas  para construção dos aceiros. A outra parte da equipe realiza ações coordenadas para posicionamento do caminhão-pipa de onde serão lançados os jatos de água. E os demais usam entram com os abafadores para extinguir os últimos resquícios de fogo. Tudo isso ao mesmo tempo e sem pausas. Os dois aviões Air Tractor também lançam três mil litros de água a cada voo.

“O avião lança a água pra baixar o fogo, não tem como chegar perto de colunas de oito metros de fogo. Então, por ar baixamos o fogo e a equipe em terra segue agindo. Por que no final de tudo, quem apaga é o homem”, explica o secretário Executivo do Comitê do Fogo, coronel dos bombeiros, Paulo André Barroso.

De acordo com a assessoria, para ação estão sendo empregados duas aeronaves de combate a incêndio do Corpo de Bombeiros e um helicóptero da Força Aérea Brasileira. Por terra, as equipes recebem o apoio de duas camionetas, uma van, um caminhão, um ônibus e dois quadriciclos também do Corpo de Bombeiros Militar e três máquinas oriundas de apreensão cedidas pela Sema. De recursos privados, estão em campo uma aeronave e três camionetas de uma empresa, três caminhões pipa, três tratores pipa, um microônibus, um quadriculo e uma van. Máquinas de diversos produtores rurais estão sendo empregadas na construção das linhas de defesa.

O Comitê do Fogo, órgão colegiado presidido pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) e secretariado pelo Corpo de Bombeiros, diariamente realiza o trabalho de articulação com as agências que podem auxiliar no combate aos incêndios florestais. O grupo é composto por instituições dos governos estadual e federal, entidades civis e Organizações não Governamentais. A Sema também fornece equipamentos e diárias para realizar as operações.