Chefe de grupo de extermínio no Pará é suspeito de ter atropelado PM em Ananindeua no Pará

Chefe de grupo de extermínio no Pará é suspeito de ter atropelado PM em Ananindeua no Pará

Marcelo Pantoja Rabelo, o Marcelo da Sucata, é acusado de ser o mandante de seis mortes, ocorridas em 2016, no Pará. Ele foi preso em 2019, no Ceará, mas respondia processo em liberdade.

Por G1 Pará 30/07/2020 - 16:09 hs

A Polícia Civil do Pará informou que o homem suspeito de ter atropelado e matado um policial militar na última quarta-feira (29) em Ananindeua foi identificado como Marcelo Pantoja Rabelo. Ainda de acordo com a Polícia, o suspeito também é investigado por liderar um grupo de extermínio no Pará. Marcelo da Sucata, como é conhecido, já havia sido preso em 2019, no Ceará, e respondia processo em liberdade.

De acordo com a Polícia, Marcelo ainda não se apresentou na seccional da Cidade Nova para prestar esclarecimentos. A polícia acredita que ele é homem que conduzia o carro que atropelou o PM Idemar Alves Dias Neto, na avenida Hélio Gueiros, em Ananindeua. O acidente foi registrado por imagens de câmeras de segurança.

Ainda segundo a Polícia, Marcelo é acusado de chefiar um grupo de extermínio no Pará. Ele é investigado de ser o mandante de seis mortes, ocorridas em 2016, no estado. Marcelo que tinha um mandado de prisão preventiva expedido pela Justiça, chegou a ser detido em 2019, em um apartamento de luxo em Fortaleza, no Ceará. Meses depois, Marcelo foi preso e está respondendo o processo em liberdade.

Morte do PM

De acordo com imagens de câmeras de segurança. O motorista de um carro tentou fazer uma conversão proibida na avenida Hélio Gueiros quando atingiu o PM Idemar Alves Dias Neto. O agente foi arremessado para o outro lado da pista e bateu com a cabeça no chão. Após o acidente, o motorista fugiu do local.


De acordo com a PM, o militar foi socorrido por agentes do Corpo de Bombeiros e encaminhado até o Hospital Metropolitano, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.


Ainda segundo a polícia, uma mulher se apresentou na Seccional da Cidade Nova, como sendo a condutora do veículo que causou o acidente. No entanto, as imagens do acidente feitas pelas câmeras de segurança mostram que, ao contrário da versão apresentada, o motorista do veículo era um homem. Apesar disso, ela foi ouvida pela polícia.