Estelionatário procurado em todo pais e que causou prejuízo no Norte Araguaia é morto na Bahia

Estelionatário procurado em todo pais e que causou prejuízo no Norte Araguaia é morto na Bahia

Segundo as informações, foram encontrados com a dupla quase 700 porções de entorpecentes e quatro armas de fogo

Por Olhar Alerta 06/06/2020 - 09:34 hs

O criminoso Rodrigo Jesuíno dos Santos Oliveira, vulgo “Acaba Mundo, considerado um dos principais estelionatários do país” e conhecido por ter causado prejuízos nas cidades de Vila Rica e Confresa, e seu comparsa Edvaldo Rodrigues da Silva, vulgo “Zoinho” foram mortos em confronto com a PM baiana na ultima terça-feira, 02/06.

De acordo a Secretaria de Segurança Publica da Bahia, a ação ocorreu durante um flagrante realizado pela Cipe (Companhia Independente de Policiamento Especializado), no Assentamento São Joaquim, distante 05 km da sede de Macajuba, na Chapada Diamantina a 295 km de Salvador.

Segundo as informações, foram encontrados com a dupla quase 700 porções de entorpecentes e quatro armas de fogo, sendo apreendidas duas pistolas de cano duplo e dois revólveres calibres 38 e 32, além de 509 pinos de cocaína, 182 porções de maconha, uma balança, dois smartphones e R$ 84,00 em espécie.Eles estavam em caminhonete Hilux preta, placa NCY 6062, de Rondônia, e o veiculo chamou a atenção das equipes da PM que solicitou a parada, mas os criminosos saíram do veículo atirando e fugiram para um matagal.

“Estamos sempre atentos a automóveis deste porte e com placas de outros estados”, explicou o comandante da Cipe Chapada, major Nelson Normando de Souza Júnior, então “Fizemos o cerco, porém os dois continuaram disparando contra os policiais. Eles foram feridos, socorridos levados para o Hospital Municipal de Macajuba, mas não resistiram”, contou o oficial.

Rodrigo Jesuíno dos Santos Oliveira, vulgo “Acaba Mundo”, tinha várias passagens pela polícia e respondia pelos crimes de roubo de gado, estelionato, sequestros, roubos de veículos e tráfico de drogas nos Estados da Bahia, Mato Grosso e no Distrito Federal. Já Edvaldo Rodrigues da Silva, vulgo “Zoinho” tinha passagens por envolvimento no tráfico de drogas, Lei Maria da Penha e envolvimento em brigas.