Manifestantes organizam protesto nas ruas de Cuiabá contra Bolsonaro

Manifestantes organizam protesto nas ruas de Cuiabá contra Bolsonaro

A concentração irá acontecer na Praça Alencastro, às 15h, de onde devem caminhar pelas avenidas Getúlio Vargas e Barão de Melgaço, até a Praça Ipiranga, na região central de Cuiabá.

Por Olhar Direto 02/06/2020 - 11:05 hs

Manifestantes cuiabanos vão às ruas no próximo domingo (7), em um ato contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o fascismo e o racismo. A concentração irá acontecer na Praça Alencastro, às 15h, de onde devem caminhar pelas avenidas Getúlio Vargas e Barão de Melgaço, até a Praça Ipiranga, na região central de Cuiabá.

A organizadora Analu Melo Ferreira reforça que todos devem tomas os devidos cuidados por conta do coronavírus. “Por isso, todas e todos usando máscaras, tragam álcool em gel e mantenham-se distantes uns dos outros. O momento não é o mais propício para uma manifestação, nós sabemos, porque o ideal seria que todos pudessem ficar protegidos em casa. Só que essa não é a realidade do povo brasileiro, que se vê forçado a sair para trabalhar, pois falta comida na geladeira, enquanto o nosso representante, que deveria proteger essas pessoas, faz pouco caso da vida delas”, disse em publicação no evento do Facebook.

Até a publicação desta matéria, mais de 561 pessoas haviam confirmado presença e mais de 1 mil manifestado interesse.  

O evento acontece logo após ato organizado por torcidas de futebol, no último final de semana, na avenida Paulista, em São Paulo. Grupo que criticava o rascimo, fascismo e o presidente se chocou com manifestantes pró-governo. Houve confusão e policiais lançando bombas de gás e usando spray de pimenta.

A onda de protestos acontece em outros locais do mundo. A última semana de maio foi marcada pela morte de George Floyd, um segurança de 46 anos, negro, morto segunda-feira (25), por um policial no estado de Minnesota, nos Estados Unidos.

O assassinato de pessoas negras como de João Paulo Mattos, 14 anos, em uma favela do Rio de Janeiro e da vereadora Marielle Franco também fizeram o movimento ‘Vida Negras Importam’ ganhar força na internet.