Matupá chega no momento mais crítica desde o início da pandemia diz prefeito

No Hospital Regional de Peixoto de Azevedo das 10 vagas que tem na UTI, todas estão ocupadas e vários paciente na região aguardam liberar vagas

O prefeito Fernando Zafonato alertou a população que Matupá chegou no momento mais crítico desde o início da pandemia, no Estado não tem mais nenhuma vaga de Unidade de Terapia Intensiva e em Matupá até terça-feira (16-03) 04 pessoas aguardam uma vaga.

No Hospital Regional de Peixoto de Azevedo das 10 vagas que tem na UTI, todas estão ocupadas e vários paciente na região aguardam liberar vagas.

Sem cilindros de oxigênios suficientes, a secretaria municipal de Saúde tem que fazer malabarismo para recarregar os poucos que tem em Sinop às presas e retornar para manter os pacientes que estão necessitando no Hospital Municipal.

Ainda segundo o prefeito, que sem vaga nas UTIs, Matupá está tendo que entubar pacientes no próprio Hospital Municipal.

E ele faz um apelo para a população para que se cuidem, fiquem em casa quando não tiver necessidade sair, não promovam aglomeração, que os comércios continuem trabalhando, mas que tomem todos os cuidados necessários e sigam todas as normas exigidas para o momento de pandemia.

“Em relação aos cilindros de oxigênio como não estamos conseguindo achar para comprar quero agradecer aqueles que nos emprestaram, ainda falei com o presidente da Federação das Indústrias que está vendo se consegue nos ajudar, falei com o governador do Estado de Mato Grosso, Mauro Mendes que a tarde nos dará uma resposta, mas provavelmente vai conseguir nos atender, não está faltando oxigênio apesar da correria que estamos tendo que fazer”, explicou Fernando ao Olhar Cidade.

Ele disse ainda que no período da tarde será lançado um novo decreto renovando por mais 15 dias mantendo as restrições que já estavam no decreto e acrescentando mais algumas, incluindo o consumo de bebidas alcoólicas em público, na tentativa de diminuir as aglomerações.

No boletim diário da Saúde tem 13 internados, 118 em isolamento domiciliar, 4 pacientes aguardando vagas nas UTIs e 2 pacientes na UTI.

Matupá vacinou mais de 400 pessoas da saúde e idosos, porém as vacinas têm demorado para chegar devido os laboratórios não estarem conseguindo produzir na velocidade da demanda mundial.

O Brasil quer ter vacinado até a julho pelo menos 120 milhões de pessoas, mas dependem dos laboratórios.

Fonte: Olhar Cidade Redação

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube ? Inscreva-se no nosso canal!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *