PJC pede prisão de filho por matar enfermeira a facadas em VG

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), lavrou o flagrante e representou pela prisão preventiva do jovem de 18 anos apontado como autor do feminicídio praticado contra a própria mãe, a enfermeira Fabiana Maria Amaro da Silva, de 39 anos, na madrugada desta segunda-feira (1º), no bairro Paiaguás em Várzea Grande.

O suspeito foi detido logo após os fatos e autuado em flagrante pelos crimes de feminicídio, desacato e condução de veículo sob efeito de álcool ou outra substância psicoativa. O delegado responsável pela autuação, Hércules Batista Gonçalves, representou pela conversão da prisão em flagrante em preventiva. 

O crime ocorreu por volta de 02h40 sendo a vítima localizada caída na sala, com várias perfurações de arma branca. Em buscas na residência, a faca utilizada no crime foi localizada na soleira da janela do banheiro. A faca de serra foi lavada, porém na parede também havia vestígios de sangue. 

No local, o suspeito foi encontrado em visível efeito de álcool ou de outra substância psicoativa, e mesmo detido e colocado na viatura da Polícia Militar, chutava o veículo e proferia várias palavras de baixo calão contra os policiais militares.

As investigações conduzidas pela DHPP, por meio das oitivas de testemunhas e também de um boletim de ocorrência registrado pela vítima, apontaram que mãe e filho possuíam desentendimento anteriores. Entre as causas estariam o furto de celular da vítima atribuído ao suspeito, tarefas da casa, o fato de o filho ter largado o emprego, além da desconfiança da vítima sobre o envolvimento dele no mundo das drogas. 

Durante o interrogatório, o suspeito alegou que estava tomando cerveja na calçada em frente à sua casa com vizinhos e quando todos foram dormir ele resolveu dar uma volta no quarteirão, momento em que teria visto uma pessoa, que teria arrombado a porta da residência e tirado a vida de sua mãe. 

Segundo Hércules Gonçalves, a versão não se sustenta uma vez que não havia sinais de arrombamento na porta dos fundos, constituindo apenas uma alegação para tentar se eximir do crime praticado. Diante das evidências, o delegado lavrou o flagrante e representou pela prisão preventiva do suspeito, que posteriormente encaminhado para audiência de custódia, ficando à disposição da Justiça.

Fonte: Folha Max

Fonte NMT

Entre no grupo do Olhar Cidade no WhatsApp e receba notícias em tempo real CLIQUE AQUI
Já assistiu aos nossos novos vídeos no
YouTube ? Inscreva-se no nosso canal!