Polícia pede prisão preventiva de filho suspeito de matar a mãe a facadas

A Polícia Civil pediu que a prisão em flagrante do jovem de 18 anos suspeito de matar a mãe, a enfermeira Fabiana Maria Amaro da Silva, de 39 anos, na madrugada de segunda-feira (1º), seja convertida em preventiva. A solicitação foi feita por Hércules Batista Gonçalves, delegado da DHPP (Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa).

Enfermeira é morta em Várzea Grande; filho da vítima foi preso suspeito do crime
A vítima trabalhava no HMC, em Cuiabá. (Foto: Montagem)

A enfermeira foi morta a facadas dentro de casa, no bairro Parque Paiaguás, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá. A faca que teria sido usada no crime foi encontrada no banheiro do imóvel.

O crime teria ocorrido durante uma discussão entre mãe e filho, em razão do rapaz ser usuário de drogas. A vítima e ele já haviam tido desentendimentos anteriores. Inclusive, ela já teria registrado um boletim de ocorrência contra o jovem por furto.

O suspeito foi detido logo após o crime e autuado em flagrante por feminicídio, desacato e condução de veículo sob efeito de álcool ou outras drogas. 

Durante o interrogatório, o jovem disse que estava tomando cerveja na calçada em frente à sua casa com vizinhos e que, quando todos foram dormir, resolveu dar uma volta no quarteirão. E que teria visto uma pessoa que teria arrombado a porta da residência e tirado a vida de sua mãe.

Contudo, o delegado Hércules Gonçalves afirma que a versão do jovem não se sustenta, uma vez que não havia sinais de arrombamento na porta dos fundos, e que ele está tentando se livrar do crime.

O delegado lavrou o flagrante e representou pela prisão preventiva do suspeito. Ele vai ser encaminhado para audiência de custódia, ficando à disposição da Justiça.

Enfermeira trabalhava no HMC

Fabiana tinha começado a trabalhar no HMC após passar em processo seletivo, mas atuava na profissão desde 2015. A vítima já tinha trabalhado também no Hospital Regional de Alta Floresta, Hospital Metropolitano e no Centro de Testagem de Covid-19, em Cuiabá.

Por nota, o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB) e o diretor-geral da Empresa Cuiabana de Saúde Pública, Paulo Rós, lamentaram a morte. 

O Coren-MT (Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso) também emitiu nota lamentando a morte da enfermeira e prestando condolências aos familiares e amigos. 

Fonte Primeira Página

Entre no grupo do Olhar Cidade no WhatsApp e receba notícias em tempo real CLIQUE AQUI
Já assistiu aos nossos novos vídeos no
YouTube ? Inscreva-se no nosso canal!