Sandro Louco pede para sair da penitenciária e tomar vacina contra a Covid

Entre no grupo do Olhar Cidade no WhatsApp e receba notícias em tempo real CLIQUE AQUI

Segundo a defesa de Sandro, ele tem 54 anos e hepatite C crônica

Foto: Marcus Vaillant/Gazeta Digital (GD)

Um dos líderes do Comando Vermelho em Mato Grosso, Sandro Silva Rabelo, mais conhecido como Sandro Louco, entrou com um mandado de segurança para poder sair da Penitenciária Central do Estado (PCE) e ser vacinado contra a covid-19, com direito à escolta do poder público nesse processo. O pedido foi protocolado em 22 de junho.

Segundo a defesa de Sandro, ele tem 54 anos e hepatite C crônica, o que o encaixa no grupo de pessoas com comorbidades que tem prioridade na vacinação. Os advogados fizeram então um pedido à diretoria da PCE para que ele fosse imunizado, porém, a unidade informou que depende da liberação de doses por parte da prefeitura para os presos.

No pedido é ressaltado o direito à integridade física dos presos estabelecido pela Constituição Federal, assim como o de ter acesso ao sistema de saúde. As penitenciárias já vacinaram os idosos, mas, segundo a defesa de Sandro “nenhuma providência se verificou até o momento para que fossem vacinados” os presos com menos de 60 anos que possuam comorbidades.

“Portanto, observa-se patente omissão das autoridades que não observaram e não estão observando o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a covid-19 (faixa etária e comorbidade), bem como o princípio da dignidade da pessoa humana, relegando às pessoas privadas de liberdade a uma segunda categoria de cidadãos, como se fossem uma classe subalterna de seres humanos, o que é inadmissível em um Estado Democrático de Direito”, diz trecho do pedido.

Os advogados argumentam que não querem nenhum privilégio para o preso e sim que seja seguido o cronograma do Ministério da Saúde, na qual as pessoas com comorbidades abaixo dos 60 anos estão sendo vacinadas.

“Salienta-se, ainda, que apenas com a vacinação em massa será possível conter a disseminação, proliferação e mutação do vírus e ainda, como mencionado anteriormente, o direito à saúde está constitucionalmente previsto não sendo passível de suspensão ou restrição sob qualquer argumento”, consta ainda no pedido.

A defesa enfatiza ainda que a demora na vacinação coloca em risco a vida de Sandro e que a contaminação pela covid-19 na PCE é uma “triste, dura e cruel realidade” e, por isso, ele deve ser cadastrado no site da Prefeitura de Cuiabá para conseguir agendamento para a imunização, sendo escoltado no dia escolhido pelo sistema.

Sandro Louco

Com condenações que ultrapassam os 200 anos de prisão, Sandro Louco foi preso em 2000 após assaltar um banco em Várzea Grande. Em sua passagem pelo sistema penitenciário, conseguiu fugir pelo menos 4 vezes. Entre os crimes cometidos estão sequestro, formação de quadrilha, latrocínio, falsificação de documentos, roubo a banco e homicídio. Depois de ficar em uma penitenciária federal, ele voltou a Mato Grosso em 2020 e foi alojado na PCE.

Fonte: Gazeta Digital

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube ? Inscreva-se no nosso canal!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *