Ex-Google funda religião que tem um robô como deus

A reportagem do Backchannel que revelou a abertura da igreja trouxe várias entrevistas com pessoas do convívio de Levandowski, e fica claro que ele sempre teve uma certa obsessão pela ideia de que um dia os robôs tomarão conta do mundo.

Em 28/09/2017 01:59:00 na sessão Tecnologia

Anthony Levandowski é um sujeito que ficou conhecido e admirado no Vale do Silício devido à sua experiência com robótica, embora seu nome tenha ganhado contornos negativos recentemente. E agora o homem que desempenhou um papel importante para o desenvolvimento da automação veicular pode estar prestes a entrar nos holofotes novamente, mas por um motivo bem inusitado.

O repórter Mark Harris, que escreve para o Backchannel, descobriu que Levandowski fundou uma organização religiosa que tem os robôs como figura divina. Chamada Way of the Future, a entidade foi registrada em setembro de 2015, mas pouco se sabe sobre suas intenções.

A papelada de fundação indica apenas que a ideia da Way of the Future é "desenvolver e promover a realização de uma divindade baseada em inteligência artificial", e que ela pretende, "através de conhecimento e devoção à divindade, contribuir para a melhoria da sociedade".

Levandowski aparece como CEO e presidente da organização, e não chega a surpreender que uma pessoa com a sua personalidade esteja por trás de algo do tipo. Ele foi um dos pilares para o desenvolvimento das iniciativas tanto do Google quanto da Uber no sentido de botar carros que dispensam motoristas nas ruas -- tanto que ambas agora se enfrentam nos tribunaisporque Levandowski teria levado tecnologia do Google para a Uber quando pulou de uma companhia à outra.

A reportagem do Backchannel que revelou a abertura da igreja trouxe várias entrevistas com pessoas do convívio de Levandowski, e fica claro que ele sempre teve uma certa obsessão pela ideia de que um dia os robôs tomarão conta do mundo, transformando os humanos em uma subcategoria. Uma dessas pessoas, por exemplo, comentou que o ex-colega queria controlar a Terra, "e robôs eram o meio de fazer isso".

"Ele falava sobre começar um novo país em uma ilha", disse essa mesma pessoa. "Coisas bem loucas e esquisitas. E a grande questão é que ele sempre tinha um plano secreto e você não vai saber disso." Trocas de mensagens entre ele e Travis Kalanick, fundador e ex-CEO da Uber, corroboram essas afirmações, porque elas revelam que Levandowski chegou a comentar com o então chefe: "Nós vamos tomar o mundo. Um robô de cada vez."

Fonte:

Olhar Digital



Por olharcidade2@gmail.com 28/09/2017 01:59:00

Mais notícias da sessão: Tecnologia